Desenvolvedor de game: saiba mais sobre essa carreira!

Você sabia que o Brasil é o 3º país no mundo com o maior número de pessoas apaixonadas por jogos eletrônicos? São no total mais de 60 milhões de jogadores brasileiros. Porém, mesmo assim, o mercado nacional não é uma referência de exportação por um único motivo: falta de desenvolvedor de games.

Sim, a falta de mão de obra especializada é o que deixa o Brasil atrás na produção e exportação de jogos eletrônicos. Essa notícia pode ser desanimadora para alguns, mas representa uma grande oportunidade de trabalho para quem é empreendedor. Não apenas empresas podem aproveitar esse cenário, mas também você que curte o mundo dos games.

Se você é uma pessoa que quer investir em si mesmo para ter mais crescimento profissional, conheça a carreira de desenvolvimento de games. Boa leitura!

Como é a atuação e o mercado para desenvolver games?

O mercado para desenvolvimento de games é bastante amplo e, falando nacionalmente, pouco explorado. Sabia que com essa profissão você pode criar até sistemas de simulação que salvam pessoas? Os jogos digitais são ferramentas de expansão da realidade e podem servir como entretenimento, fonte de informação e estratégia de ensino.

Esses sistemas educacionais ajudam a formar médicos e profissionais da saúde, sendo uma forte base de apoio para aprender técnicas cirúrgicas, por exemplo. Outro ponto interessante sobre a atuação no desenvolvimento de games é que são muitas áreas que podem ser trabalhadas pelo profissional.

Veja algumas das áreas que em você pode atuar, assim como sua média salarial:

  • desenvolvedor mobile — de R$10 mil a R$15 mil: cria jogos digitais para plataformas móveis, como smartphones e tablets;
  • desenvolvedor web — de R$8 mil a R$15 mil: cria jogos digitais para navegadores/browsers ou que usem a internet;
  • product owner — de R$12 mil a R$18 mil: responsável pelos projetos de desenvolvimento, atuando diretamente com os profissionais envolvidos e trazendo novidades do mercado;
  • graphic/web designer — de R$4 mil a R$8 mil: cria e gerencia o desenvolvimento da identidade visual, como marca para os jogos digitais;
  • programador — de R$5 mil a R$10 mil: desenvolve o código do jogo, geralmente em plataformas nativas, como a Unity;
  • artista gráfico — de R$4 mil a R$8 mil: responsável por criar e desenvolver os gráficos dentro do jogo, sendo eles em 2D, 3D ou realidade virtual;
  • instrutor de esportistas eletrônicos — de R$2 mil a R$4 mil: ensina jogadores de e-sport a serem os melhores em determinado jogo.

Quais são as habilidades ideais para o desenvolvedor de games?

O profissional que desenvolve jogos digitais precisa gostar do mundo de eletrônicos, mas não precisa ser um jogador assíduo. Porém, o ponto de vista do usuário é sempre interessante para criar boas interfaces, histórias envolventes e personagens cativantes. Ademais, as habilidades que podem ser desenvolvidas têm ligação direta com a função desempenhada.

Lógico, todo desenvolvedor de jogos, independentemente do cargo assumido, precisa entender bem de programação. Outras habilidades que você pode aprender são:

  • criação e tratamento de imagens para produtos, internet e anúncios;
  • desenvolvimento de storytelling para jogos;
  • conceitos de UX design — desenho de interfaces de usuário.

Quais os desafios que o profissional de desenvolvimento de games enfrenta?

Os profissionais de game designer enfrentam muitos desafios no mercado eletrônico, mesmo sendo uma área em constante expansão. A questão é que a popularidade não é o único ponto que atrai os jogadores para os games. Com isso, as empresas exigem mais de seus colaboradores, que precisam ser:

  • ágeis, pois as mudanças no mercado de jogos digitais acontecem rápido;
  • atualizados com as melhores tecnologias, mas que saibam ajustar os requisitos de sistema ao público-alvo;
  • dotados de inteligência social e emocional para lidarem com conflitos de ideias, trabalho em equipe e pressão de prazos;
  • motivados a sempre buscarem novos conhecimentos e habilidades;
  • bons no inglês e em mais de uma linguagem de programação;
  • focados na experiência do consumidor.

Como você pôde ver, existem muitas áreas de atuação para quem é desenvolvedor de games. Porém, mesmo com essa amplitude, uma coisa é importante: você nunca deve deixar de se especializar e adquirir novas habilidades. O conhecimento em UX, por exemplo, é cada vez mais exigido pelas empresas. O profissional que não se atualiza perde a competitividade no mercado.

O notebook é um material de trabalho essencial para o desenvolver de games. O que acha de conferir neste post como aplicar corretamente adesivos em seu notebook? Aproveite!